Início do cabeçalho do portal da UFERSA

Programa de Pós-Graduação em Manejo de Solo e Água

Intercâmbios Nacionais

Como o Programa de Pós-Graduação em Manejo de Solo e Água (PPGMSA) foi criado pela junção do Programa de Pós-Graduação em Irrigação e Drenagem (PPGID) e do Programa de Pós-Graduação em Ciência do Solo (PPGCS), todos os intercâmbios institucionais pertencentes aos antigos programas (PPGID e PPGCS) foram migrados para o novo programa (PPGMSA). Dentre os intercâmbios nacionais realizados destacam-se, os seguintes:

Em dezembro de 2007 foi aprovada uma proposta no Edital PROCAD-NF pelo PPGID da UFERSA, que tratava da cooperação acadêmica e de pesquisa entre o PPGID, o Programa de Pós-Graduação de Engenharia Agrícola da UFCG e o Programa de Pós-Graduação de Irrigação e Drenagem da ESALQ/USP. A proposta teve como objetivo promover o intercâmbio de docentes e pós-graduandos, visando o fortalecimento do PPGID com a formação de recursos humanos e o desenvolvimento de pesquisa interinstitucional, especialmente associado à agricultura irrigada. Este projeto foi prorrogado até dezembro de 2012.

Em 2009 o PPGCS da UFERSA aprovou uma proposta no Edital PROCAD-NF que tratava da cooperação acadêmica e científica entre os Programas de Pós-Graduação em Ciência do Solo da UFERSA e UFSM. A proposta teve como objetivo possibilitar melhorias estruturais e de troca de conhecimentos e experiência com instituições conceituadas, como o Programa de Pós-Graduação em Ciência do solo da UFSM, de maneira a fortalecer áreas importantes do PPGCS da UFERSA tais como Pedologia, Química e Fertilidade do Solo, Microbiologia, Conservação do Solo e Física do Solo. Este projeto foi prorrogado até dezembro de 2012.

Em dezembro de 2011 foi aprovada uma proposta na chamada pública CASADINHO/PROCAD MCTI/CNPq/MEC/CAPES, Ação Transversal nº 06/2011, que tratava da cooperação acadêmica e de pesquisa entre o PPGID e os programas de Pós-Graduação de Engenharia Agrícola da UFV e o de Engenharia de Sistemas Agrícolas da ESALQ/USP. Esta proposta teve como objetivo incentivar e organizar o intercâmbio de docentes, pesquisadores e estudantes de pós-graduação, no âmbito dos programas definidos anteriormente, permitindo uma troca de experiências, em nível acadêmico e prático, contribuindo para o aperfeiçoamento científico da área do Manejo de Solo e Água da UFERSA com o Programa de Pós-Graduação em Engenharia Agrícola da UFV e o Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas Agrícolas da ESALQ/USP, e para a consolidação desses programas de pós-graduação. Foi estabelecido um projeto conjunto de ensino e pesquisa para estimular a formação em nível de pós-graduação, a mobilidade docente e discente, bem como a fixação de pesquisadores doutores na Região Nordeste e, assim, diminuir as desigualdades científicas regionais. Com esta cooperação acadêmica objetivou-se também consolidar o PPGID por meio do fortalecimento das áreas de Dinâmica de Água e Solutos no Solo, Reúso de Água, Sistemas de Irrigação Alternativos e Recursos Hídricos e Ambientais. Desde o ano de 2013 com o encerramento das atividades do PPGID, as ações deste projeto passaram a ser conduzidas pelos discentes e docentes do PPGMSA. Este projeto foi prorrogado até dezembro de 2016 e encerrado pelo PPGMSA. As principais atividades realizadas nesta cooperação acadêmica e Pesquisa foram as seguintes:

– Missão Docente Prof. Rafael Oliveira Batista da UFERSA: No período de 05 a 08 de novembro de 2012 ocorreu: Reunião com docentes do Departamento de Engenharia Agrícola da UFV para organizar as atividades do Projeto Casadinho/PROCAD entre UFERSA/UFV/ESALq. Ficou definido que os Docentes Mauro Martinez, Fernando Pruski e Alisson Borges poderão coorientar mestrando e doutorando, ministrar palestras em Mossoró, participar de bancas examinadoras e ministrar disciplina dentro e fora da UFV.

– Missão docente Prof. José Francismar de Medeiros da UFERSA: No período de 02 a 03 de fevereiro de 2012 ocorreu: reunião com docentes do Programa de Engenharia Sistemas Agrícolas da ESALQ para organizar as atividades do Projeto Casadinho/PROCAD entre UFERSA/UFV/ESALq.

– Missão docente Prof. José Francismar de Medeiros da UFERSA: No período de 20 a 21 de junho de 2012 ocorreu: aula/palestra para a disciplina do Programa de Pós-Graduação da ESALQ (4 horas) sobre salinidade e a drenagem do solo; e reunião com Prof. Sérgio Duarte Nascimento para discutir o livro em elaboração Drenagem Agrícola, de autoria de Ênio França Silva, Hans Raj Gheyi, Jarbas Honório Miranda, José Francismar de Medeiros e Sérgio Nascimento Duarte.

– Missão docente Prof. Jarbas Honório Miranda da ESALQ: ministrar palestra “Dinâmica de solutos no Solo” no Workshop manejo de água de qualidade inferior na agricultura e participar de reunião para discutir execução do projeto de pesquisa.

– Missão docente Prof. Quirijn de Jong van Lier da ESALQ: ministrar a disciplina “Dinâmica de Água no Solo” de forma condensada, no período de 08 a 13 de setembro de 2013 em Mossoró-RN, aos discentes do PPGMSA/UFERSA.

– Missão de estudos da doutoranda da ESALQ Rafaelly Suzanye da Silva Santos na UFERSA (desenvolver parte de sua tese “Dinâmica de potássio em solos afetados por sais”), no período de 30 setembro a 30 de novembro de 2013, em Mossoró-RN.

– Missão estudantil do discente Laio Ariel Leite de Paiva graduando da Agronomia e exercendo atividade junto ao PPGMSA/UFERSA: realizou estágio e atividade de pesquisa no laboratório de Hidráulica da ESALQ/USP, em Piracicaba-SP, no período de 11/03 a 06/04/2013, onde avaliou um funcionamento de microaspersor alternativo.

– Missão estudantil dos discentes Ana Cláudia Medeiros Souza e Pedro Ramualyson Fernandes Sampaio pertencentes ao PPGMSA/UFERSA: realizar pesquisas literárias, consultar pesquisadores, participar de atividades de pesquisa, melhorar as discussões dos dados de pesquisa na ESALQ/USP em Piracicaba-SP, no período de 23 de agosto de 2013 a 23 de novembro de 2013.

– Missão docente Prof. Rafael Oliveira Batista da UFERSA: No período de 14 a 17 de maio de 2014 ocorreu: Reunião com docentes do Departamento de Engenharia Agrícola da UFV para organizar as atividades do Projeto Casadinho/PROCAD entre UFERSA/UFV.

– Missão docente Prof. José Francismar de Medeiros da UFERSA: No período de 17 a 19 de novembro de 2014 ocorreu: Reunião com docentes do Programa de Engenharia de Sistemas Agrícolas da ESALQ para organizar as atividades do Projeto Casadinho/PROCAD entre UFERSA/ESALq e também participou como membro de banca examinadora da tese da doutoranda Rafaelly Suzanie.

– Missão docente Profa. Jeane Cruz Portela da UFERSA: Treinamento no laboratório de Física de Solo na ESALQ. No período de 02 a 06 de novembro de 2014.

– Missão docente Prof. Sérgio Luiz Aguilar Levien da UFERSA: Participou de curso denominado “Modeling water flow and contaminant transport in soils and groundwater using the HYDRUS computer software packages” organizado pela ESALQ/UNESP. No período de 02 a 06 de novembro de 2014.

– Missão do doutorando André Herman Freire Bezerra em janeiro de 2015, onde ministrou o mini-curso na UFERSA “Modelos aplicados a dinâmica de água e soluto no solo”.

– Missão docente Prof. Alisson Carraro Borges da UFV: ministrar minicurso no período de 04 a 06 de janeiro de 2015 em Mossoró-RN, aos discentes do PPMSA/UFERSA. Proferiu o minicurso denominado “Sistemas naturais para o tratamento de águas residuárias agroindustriais”.

– Missão estudantil do discente José Leôncio de Almeida Silva graduando da Agronomia e exercendo atividade junto ao PPGMSA/UFERSA: realizou estágio e atividade de pesquisa no laboratório de Hidráulica da ESALQ/USP, em Piracicaba-SP, no período de 05 a 31 de maio de 2015, onde acompanhou ensaios hidráulicos em gotejadores.

– Missão estudantil das discentes Líssia Letícia de Paiva Oliveira e Jussiara Sonally Jacome Cavalcante ao PPGMSA/UFERSA: realizar pesquisas literárias, consultar pesquisadores, participar de atividades de pesquisa, melhorar as discussões dos dados de pesquisa na ESALQ/USP em Piracicaba-SP, como também cursou a disciplina Dinâmica de água no solo, no período de 06 de março à 25 de junho de 2015.

– Missão docente Prof. Fernando Falco Pruski da UFV: ministrar minicurso no período de 23 a 26 de agosto de 2015 em Mossoró-RN, aos discentes do PPMSA/UFERSA. O minicurso denominou-se Planejamento e gestão de recursos hídricos e teve 12 horas de duração.

– Missão docente Prof. Manoel Januário da Silva Júnior da UFERSA: Discutir atividades do projeto e participar de banca de dissertação do mestrando José Leôncio de Almeida Silva no período de 19 a 21/05/2016.

– Missão docente Prof. Rafael Oliveira Batista da UFERSA: No período de 07 a 10 de novembro de 2016 ocorreu na UFV: reunião com docentes do Departamento de Engenharia Agrícola da UFV para organizar as atividades do Projeto Casadinho/PROCAD e realizou treinamento no Laboratório de Análise de Qualidade de

Água do DEA/UFV sobre análise de fenóis de águas residuárias.

Em dezembro de 2014 foi aprovado, junto ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, o Status do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Salinidade (INCTSal). A criação do INCTSal, em 2008, e funcionamento a partir de 2009, foi importante e os resultados obtidos durante os últimos cinco anos foram muito positivos, considerando os eixos que norteiam o programa dos INCTS. A nova proposta aprovada em 2016 trouxe um novo modelo de organização estrutural e funcional do Instituto, o qual passa a ser atrelado ao funcionamento coordenado de Linhas de Atuação (LAs), sendo que quatro delas são responsáveis pelas áreas de pesquisas, enquanto a quinta linha é responsável por organizar toda a parte de transferência de conhecimento para a sociedade, governos e empresariado. As linhas de atuação são as seguintes:

-I – Fisiologia, Bioquímica e Genética, Visando o Aumento da Tolerância ao Estresse Salino;

– II – Diagnóstico e Monitoramento da Salinidade: Sensoriamento Remoto e Outras Técnicas;

– III – Convivência, Manejo e Controle da Salinidade;

– IV – Processos de Salinização, Recuperação e Controle Ambiental; e

– V – Transferência de Conhecimento e de Tecnologia.

A estrutura do INCTSal é composta por 17 Núcleos de Pesquisa Associados (NAs) pertencentes a doze diferentes instituições brasileiras (UFC, UECE, UFCG, UFPB, UEPB, UFERSA, UFRPE, UFRB, FURG, UNIVASF, Embrapa/CNPAT e Embrapa/CNPMFT), os quais se conectam e interagem de acordo com as linhas de atuação do Instituto. Além dos NAs, o INCTSal tem, em sua estrutura, os Núcleos de Cooperação em Pesquisa (NCPs) e os Núcleos de Cooperação em Transferência (NCTs). A princípio o INCTSal conta com quatro NCPs, sendo dois núcleos internacionais (US Salinity Laboratory/ARS/USDA e ARS/USDA/Water Management Research Unit) e dois nacionais (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE e Embrapa Solos). A participação desses núcleos é fundamental para a realização de eventos e para o aprimoramento de pesquisas, coorientações, dentre outras parcerias. Por outro lado, os NCTs são formatados a partir de parcerias com órgãos públicos (federais, estaduais e locais) e com setores organizados da sociedade, incluindo associações de produtores, associações de técnicos, conselhos, dentre outros. Além do novo modelo de funcionamento, a nova proposta do INCTSal apresenta alguns aspectos inovadores que merecem destaque: A colocação de uma vertente ambiental nesse novo projeto é algo fundamental e que segue a tendência mundial, a qual considera o problema da salinidade não apenas como uma questão agronômica, mas um problema de abrangência bem maior que passa pelas áreas ambiental, social e econômica. A introdução de geneticistas e melhoristas de planta na equipe de pesquisadores é também algo extremamente importante, pois pela primeira vez, trabalha-se numa linha que pode unir resultados de pesquisa básica e a possibilidade de obtenção de genótipos com potencial aplicação. A criação de Núcleos de Cooperação em Pesquisa (NCPs), outra importante inovação, resulta, dentre outras coisas, na melhoria da competitividade das pesquisas e sua internacionalização. A partir dessa nova organização o INCTSal pretende alcançar os seguintes objetivos:

– Aumentar a massa crítica de pesquisadores qualificados em salinidade;

– Investir de maneira contínua nos Núcleos de Pesquisa Associados e nas interações com os Núcleos de Cooperação em Pesquisa (núcleos de excelência nacionais e internacionais), a fim de que possam produzir competitivamente com os centros avançados do mundo;

– Aumentar a cooperação entre as áreas básica e aplicada, para solução dos problemas de salinidade;

– Avançar na aplicação e avaliação de metodologias de diagnóstico e mapeamento da salinidade em áreas com problema de salinidade na região semiárida brasileira;

– Realizar estudos de prospecção para identificar e recomendar espécies com potencial para serem exploradas com uso de recursos salinos, incluindo glicófitas tolerantes e halófitas;

– Iniciar os estudos visando à produção e distribuição de materiais geneticamente melhorados para uso nas áreas com problemas de sais no solo ou na água, com ênfase nas culturas do meloeiro, mamoeiro e citrus;

– Melhorar o manejo do sistema solo, água, planta e aumentar o grau de conhecimento dos irrigantes em geral e de técnicos, inclusive nas áreas em que se usa água salobra, visando prevenção e controle da salinidade em áreas irrigadas;

– Diagnosticar as causas e propor soluções para prevenir e reduzir a contaminação das fontes hídricas e do solo;

– Desenvolver um conjunto de técnicas, incluindo fitorremediação, biodrenagem, uso de corretivos alternativos, que permitam a recuperação e o aproveitamento de áreas degradadas;

– Ampliar os canais de comunicação com a sociedade e introduzir formas modernas que permitam garantir a transferência de conhecimentos para os diferentes setores envolvidos.

A nova proposta do INCTSal também amplia o número de instituições participantes (de 8 para 12), o número de Núcleos de Pesquisa Associados (de 11 para 17) e o número de pesquisadores (de 26 no último ano para 34). Espera-se que as atividades desenvolvidas pelo Instituto nos próximos seis anos resultem no treinamento de, aproximadamente, 200 estudantes de graduação, 190 de mestrado, 90 de doutorado e 20 de pós-doutorado. Espera-se também aumentar a média de artigos publicados (com Qualis/Capes A1, A2, B1 e B2) de 2,69 (obtida nos últimos cinco anos) para 2,94 artigos/pesquisador/ano, e aumentar o número de artigos de elevado fator de impacto de 0,52 (obtida nos últimos cinco anos) para 0,78 artigo/pesquisador/ano. Portanto, considerando o bom trabalho desenvolvido pelo INCTSal nos últimos cinco anos e a proposta inovadora apresentada no presente edital, entendemos ser de grande importância a continuidade do trabalho do Instituto, o que imita o caminho trilhado ao longo de décadas por diversos países onde problemas semelhantes existem. Neste projeto o Prof. José Franscismar de Medeiros do PPGMSA coordena as ações da linha de atuação III – convivência, manejo e controle da salinidade.

Em outubro de 2013 foi aprovada pelos governos brasileiro e alemão a cooperação bilateral Alemanhã-Brasil intitulada “BRAMAR – Estratégias e Tecnologias para Mitigação de escassez de água no Nordeste do Brasil: Reuso de Água, Gerenciamento da Recarga de Aquífero e Gestão Integrada de Recursos Hídricos” envolvendo 10 parceiros alemães (RWTH Aachen University, Department of Sanitary Engineering; RWTH Aachen University, Department of Chemical Engineering; Georg-August-Universität Göttingen; Potsdam Institute for Climate Change Impacts, Research Center Jülich, Institute of Agrosphere; Leibniz Universität Hannover; Huber SE, INGE GmbH, AP System Engineering GmbH; e EnviroChemie GmbH) e 17 parceiros brasileiros (Universidade Federal de Campina Grande, Agência Nacional das Águas, Instituto Nacional do Semi-Árido, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Semi-Árido, Universidade de São Paulo, SP, Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba, Universidade Federal da Paraíba, Universidade Federal de Pernambuco, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Instituto de Gestão das Águas do Estado do Rio Grande do Norte, Agência Pernambucana de Águas e Clima, Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Fundação Cearense de Meteorologia e de Recursos Hídricos, Universidade Federal de Ceará, Universidade de Fortaleza, Companhia de Água e Esgoto da Paraíba e Indústria INTRAFRUT). Esta cooperação bilateral tem como objetivo geral preencher lacunas de pesquisa sobre a reutilização de água, recarga gerenciada de aquífero como parte da gestão integrada dos recursos hídricos, estratégias de resposta para combater a escassez de água e garantir o desenvolvimento sustentável do semiárido nordestino brasileiro. O projeto também aumentou as oportunidades de institutos e empresas de pesquisa alemã contribuir para o desenvolvimento do setor hídrico brasileiro e acessar as principais áreas do mercado brasileiro. Como objetivos específicos apresentam-se: 1) Contribuir para a recuperação dos níveis de águas subterrâneas dos sistemas aquíferos costeiros e interioranos do nordeste brasileiro e implementar medidas para a proteção e melhoramento da qualidade de águas subterrâneas com base na recarga gerenciada de aquífero; 2) Aumentar a disponibilidade e eficiência de uso da água no nordeste brasileiro; 3) Promover o controle da poluição das águas através do melhoramento da infraestrutura de esgotos e reutilização de água; 4) Demonstrar tecnologias adaptadas ao tratamento de água com baixo consumo de energia e para diferentes aplicações na reutilização; 5) Promover a reutilização de água em todas as áreas, como nos municípios, para a agricultura e indústria; 6) Atenuar a escassez de água e evitar conflitos relacionados à água no nordeste brasileiro através de estratégias sustentáveis baseadas na gestão conjunta da disponibilidade de todos os recursos hídricos. No contexto da cooperação bilateral Alemanhã-Brasil BRAMAR, a UFERSA está sendo representada pelo PPGMSA sob a coordenação do Prof. Rafael Oliveira Batista do PPGMSA, que atua desde 2013 na realização de seis (06) metas do Pacote de Trabalho WP4 – Reúso da Água: a) Meta 1 – Avaliação do quadro legal/institucional para reúso de água e padrões de monitoramento; b) Meta 2 – Estudo de impactos ambientais do aproveitamento agrícola de águas residuárias e do potencial de reúso em Mossoró-RN; c) Meta 3 – Avaliação de oportunidades do reúso de água no setor industrial de Mossoró-RN; d) Meta 4 – Avaliação das oportunidades de reúso da água no município de Mossoró-RN; e) Meta 5 – Esquemas dos sistemas de aproveitamento e reutilização da água para áreas urbanas, rurais e industriais em Mossoró-RN; e f) Meta 6 – Avaliação sócioeconômica e ambiental dos sistemas de recuperação de água e reúso na agricultura, municipalidades e indústrias. Para o PPGMSA, a cooperação bilateral Alemanhã-Brasil BRAMAR possibilitou a geração dos seguintes indicadores de produção técnico-científica e de formação de recursos humanos até o ano de 2017:

– 23 Artigos de periódicos nacionais e internacionais;

– 25 Trabalhos completos publicados em anais de eventos

– 5 Capítulos de livro

– 3 Supervisões de Pós-Doutorado

– 5 Orientações de Doutorado

– 13 Orientações de Mestrado

– 10 Orientações de Iniciação Científica

– 21 Trabalhos de Conclusão de Curso em nível de graduação

– 1 Prêmio em nível nacional: 1º Colocação do sistema “Água Viva” venceu prêmio nacional de Tecnologias Sociais na categoria mulheres organizado pela Fundação Banco do Brasil, dia 10 de novembro de 2015.

– 1 Prêmio em evento: Trabalho científico classificado em 2° lugar na categoria “Aproveitamento de Resíduos” no Congresso Internacional RESAG 2017 realizado no período de 13 a 15 de setembro de 2017.

Em outubro de 2013 foi iniciado o acordo de cooperação técnica entre o Instituto Nacional do Semiárido (INSA) e a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA) visando à conjugação de esforços na implementação de ações conjuntas para o desenvolvimento sustentável do semiárido do Brasil. Para isso, foram estabelecidas as seguintes metas para as duas entidades:

– É função do INSA, promover, executar e divulgar estudos, pesquisas científicas e de desenvolvimento tecnológico, formar e proporcionar a fixação de capacidades humanas no semiárido brasileiro; realizar, propor e fomentar projetos e programas de pesquisa científica, estabelecendo os intercâmbios necessários com instituições regionais, nacionais e internacionais; bem como subsidiar a formulação de políticas públicas visando ao desenvolvimento econômico-social-ambiental, acompanhar e difundir o conhecimento relativo ao semiárido brasileiro;

– O INSA tem como missão viabilizar soluções interinstitucionais para desafios de articulação, pesquisa, formação, difusão e políticas para o desenvolvimento sustentável do Semiárido brasileiro;

– É função da UFERSA gerar e disseminar conhecimentos no campo do manejo de solo e água por meio da execução de projetos de pesquisa que propiciem a geração de processos e produtos inovados para o semiárido brasileiro;

– É de interesse comum do INSA e da UFERSA o estabelecimento de mecanismo de articulação e cooperação de modo sinérgico, objetivando contribuir para o desenvolvimento científico e tecnológico do semiárido brasileiro.

Nesse acordo de cooperação técnica a UFERSA foi representada pelo PPGMSA, sob a coordenação do Prof. Rafael Oliveira Batista do PPGMSA, e no período de quatro (04) anos de sua vigência foram realizadas as seguintes ações: a) Levantamento de informações para atender ao subprojeto 03 do plano de trabalho intitulado “Estudo prospectivo do potencial de reuso de águas residuárias no semiárido brasileiro”; b) Desenvolvimento de pesquisas voltadas para a prevenção do entupimento de gotejadores que aplicam águas residuárias para atender ao Subprojeto 05 do plano de trabalho intitulado “Implantar unidades pilotos de reúso de águas residuárias nos estados da Bahia, Paraíba e Rio Grande do Norte”; e c) Condução de pesquisa com o uso de água residuária de laticínios na produção do mandacaru sem espinho para atender ao Subprojeto 05 do plano de trabalho intitulado “Implantar unidades pilotos de reúso de águas residuárias nos estados da Bahia, Paraíba e Rio Grande do Norte”. Este acordo de cooperação técnica foi encerrado em outubro de 2017.

O PPGMSA tem trabalhado em cooperação, também, com os Programas de Pós-Graduação em Fitotecnia, Produção Animal e Ciência e Engenharia de Materiais da UFERSA, sobretudo nos projetos de pesquisa, onde as equipes normalmente são formadas por professores de ambos os programas. Também existe forte intercâmbio com o Instituto Nacional do Semiárido (INSA) e o Departamento de Engenharia Agrícola e Meteorologia da UFCG, onde nossos docentes desenvolvem projetos de pesquisa em parceria com o Departamento de Engenharia de Biossistemas da ESALQ/USP e o Departamento de Engenharia Agrícola de UFV, onde existe o intercâmbio para a realização de pesquisas. O PPGMSA também possui parcerias com o Programa de Pós-Graduação em Zootecnia da UFRPE e com a Empresa de Pesquisa Agropecuária do estado do Rio Grande do Norte (EMPARN).

O acordo de cooperação técnica entre UFERSA e EMBRAPA solos possibilitou o treinamento do Doutorando Artenio Cabral Barreto do PPGMSA pelo Pesquisador Ronaldo Pereira de Oliveira da EMBRAPA Solos, no período de 04 a 12 de março de 2017, nos temas “Introdução a Geoestatística Utilizando o VESPER” e “Mapeamento de Atributos de Solo Utilizando Sensores de Proximidade no Campo”.

Intercâmbios Internacionais

No PPGMSA existem Docentes que possuem parcerias internacionais para a realização de trabalhos de pesquisa, dentre os quais se destacam:

– O Prof. Daniel Valadão Silva do PPGMSA possui parcerias com duas universidades internacionais: a) Na University of Minnesota, Estados Unidos da América, com o Prof. Kurt Spokas do Department of Soil, Water, and Climate para o desenvolvimento de pesquisas sobre o comportamento de herbicidas no solo; e b) Na Universidad de Habana, Cuba, com o Prof. Eduardo Alfonso Ortega Delgado para estudar os efeitos do déficit hídrico no solo sobre indicadores de crescimento e fisiologia de plantas daninhas e cultivadas.

– O Prof. José Francismar de Medeiros do PPGMSA possui parcerias internacionais com o US Salinity Laboratory/ARS/USDA e ARS/USDA/Water Management Research Unit através do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Salinidade (INCTSal) para a realização de pesquisas voltadas à convivência, manejo e controle da salinidade.

– O Prof. Nildo da Silva Dias do PPGMSA foi cursar pós-doutorado na University of California, Riverside, Estados Unidos da América, no período de 20 de janeiro de 2014 a 19 de janeiro de 2015 através do INCTSal.

– O Prof. Glauber Henrique de Sousa Nunes possui parcerias internacionais com pesquisadores da Universidade da Flórida, em Gainsville, nos Estados Unidos.

– O Prof. Rafael Oliveira Batista do PPGMSA coordena a equipe de pesquisadores da UFERSA, que está inserida no Pacote de Trabalho WP4 – Reúso da Água, junto à cooperação bilateral Alemanhã-Brasil intitulada “BRAMAR – Estratégias e Tecnologias para Mitigação de escassez de água no Nordeste do Brasil: Reuso de Água, Gerenciamento da Recarga de Aquífero e Gestão Integrada de Recursos Hídricos” envolvendo 10 parceiros alemães (RWTH Aachen University, Department of Sanitary Engineering; RWTH Aachen University, Department of Chemical Engineering; Georg-August-Universität Göttingen; Potsdam Institute for Climate Change Impacts, Research Center Jülich, Institute of Agrosphere; Leibniz Universität Hannover; Huber SE, INGE GmbH, AP System Engineering GmbH; e EnviroChemie GmbH).

– O Prof. Nildo da Silva Dias coordenou o I Simpósio de Manejo de Solo e Água, realizado de 06 a 09 de dezembro de 2016, em Mossoró-RN, Brasil. Neste evento houve a participação do Professor Luís Alberto Bermejo Asensio da Universidad de la Laguna, Ilhas Canárias, Espanha na palestra de abertura intitulada “Plano hidrológico do Tenerife: um modelo para zonas áridas e semiáridas”.

– O Prof. Nildo da Silva Dias coordenou o II Simpósio de Manejo de Solo e Água, realizado de 05 a 09 de dezembro de 2017, em Mossoró-RN, Brasil. Neste evento houve a participação de docentes estrangeiros nas seguintes atividades: a) A Profa. Jucilene de Medeiros Siqueira do Instituto Superior de Agronomia de Lisboa, Portugal coordenou a Oficina intitulada “Programação e montagem de sensores inteligentes para monitoramento da água e da salinidade do solo”; b) A Profa. Maria Alejandra Moreno Pizani da Universidad Central de Venezuela, Venezuela coordenou o minicurso intitulado “Hidrologia de regiões semiáridas”; e c) o Prof. Rene Chipana Rivera da Universidad Mayor de San Andrés, Bolívia participou do Ciclo de palestras intitulado “Eficiência do uso da água”.

– O Prof. Nildo da Silva Dias coordena as ações do Protocolo de Colaboração entre o Instituto Superior de Agronomia de Lisboa, Portugal e a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA). Este visa estreitar as relações de cooperação e intercâmbio entre as instituições signatárias, de modo a que ambas possam beneficiar de ações de colaboração nos domínios de atividade a que se dedicam. As ações de colaboração propostas são as seguintes: a) Atividades nos domínios do ensino e da formação; b) Desenvolver em parceria, projetos de investigação de âmbito nacional e internacional; c) Promover a prestação de serviços; d) Utilização de equipamentos e espaços; e) Estágios científicos e técnicos; e f) Reforço do empreendedorismo entre as duas instituições, nomeadamente através da troca de experiências de incubadora de empresas de base científica e tecnológica.

21 de outubro de 2014. Visualizações: 2253. Última modificação: 14/04/2018 18:38:16